Sobrou para Joe Bidem, Macron, Ãngela Merkel e outros líderes das potências

Senador brasileiro usa crise sanitária pelo Covid em Manaus para denunciar que interesse dos grandes líderes internacionais é pela riqueza da Amazônia e não pelas pessoas

Por TIÃO MAIA, DO AMAZÔNIA AGORA em 20/01/2021 às 19:35:42

Em vídeo postado nas suas redes sociais nesta quarta-feira 20/01, o senador Márcio Bittar, do MDB do Acre, relator do Orçamento Geral da União (OGU) e um dos mais influentes membros do Senado brasileiro junto ao presidente Jair Bolsonaro e seus filhos parlamentares, atacou duramente líderes de potências internacionais em função da crise sanitária e humanitária em Manaus, no Amazonas, onde pessoas vêm morrendo por falta de oxigênio a partir de complicações com a Ciovid-19. As críticas do senador ao presidente dos Estados Unidos, Joe Bid, aconteceram no exato momento em que ele tomava posse no cargo mais importante do mundo e era ovacionado por nações e líderes políticos ao redor do planeta.

De acordo com o Márcio Bittar, a crise que levou pessoas a morrerem em hospitais ou mesmo em casa em Manaus por falta de oxigênio serviu para mostrar o que ele qualifico0u como hipocrisia desses líderes mundiais. "No momento de crise, não se viu Joe Bidem, dos Estados Unidos, Emmanuel Macron, da França, ou Ângela Merkel, da Alemanha, escreverem sequer uma nota de solidariedade ao povo do Amazonas, quanto mais enviar um cilindro de oxigênio", disse Márcio Bittar. Segundo ele, os líderes mundiais que se calaram quanto à morte de pessoas são os mesmos que manifestam indignação com as queimadas na Amazônia, com a derrubada de árvores o quando corre uma apreensão de grande quantidade de madeira.

"Isso mostra que o interesse dessas nações não é pelas pessoas e sim pela nossa economia", afirmou o senador; acompanhe o vídeo.



Comunicar erro
aleac 04.02

Comentários