Tribunais de Justiça do país aderem a campanha de socorro ao Acre

Anúncio foi feito pela desembargadora Waldirene Cordeiro, do TJAC

Por Francisco Fabiano em 22/02/2021 às 16:13:28

Desembaragadora Waldirene Cordeiro, presidente do TJAC

A desembargadora Waldirene Cordeiro, presidente do tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), anunciou, nesta segunda-feira 22/02, que o Colégio de Presidentes dos Tribunais de Justiça do Brasil (Codepre) aderiu à campanha "SOS Acre", para ajudar as famílias atingidas pelas cheias no Estado. A adesão ocorreu por intermédio do presidente do próprio Codepre, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco.

"O Acre enfrenta muitas adversidades ao mesmo tempo e a situação é gravíssima. Toda ajuda será bem-vinda, precisamos agir rápido, unidos e ajudar o maior número possível de pessoas", disse a desembargadora-presidente do TJAC.

O Acre tem ganhado atenção nacional devido a uma série de crises simultâneas: o agravamento da pandemia do coronavírus, o surto de dengue, crise migratória e enchente. Pelo menos dez cidades estão tomadas pelas águas.

A campanha, idealizada pelo Ministério Público do Acre (MPAC), em parceria com o TJAC, ganhou a adesão de alguns artistas, digital influencers locais e nacionais, além do apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª região (Rondônia e Acre), Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 14ª Região (Amatra14), o Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho de Rondônia e Acre (Sinsjustra), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). O Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG) também manifestou apoio à iniciativa, que é coordenada pelo Grupo Especial de Apoio e Atuação para Prevenção e Resposta a Situações de Emergência ou Estado de Calamidade Devido à Ocorrência de Desastres (GPRD) do MPAC.

Com mais de 50 mil casos confirmados e perto de mil mortes, a pandemia do coronavírus tem levado ao colapso o sistema de saúde local, com falta de leitos e médicos para atender a grande demanda, o que fez as autoridades retomarem o estado de alerta máxima. Soma-se a esse quadro a explosão no número de infectados por dengue, sobrecarregando ainda mais os serviços de saúde e seus profissionais.

As fortes e ininterruptas chuvas que castigam todo o Estado neste período de inverno preocupam ainda mais. Com o transbordamento de rios e igarapés, algumas cidades já se encontram parcialmente submersas e milhares de famílias desabrigadas, a exemplo de Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá e Sena Madureira.

Na fronteira com o Peru, a cidade de Assis Brasil vive uma crise humanitária envolvendo imigrantes retidos. Enfrentando dificuldades para abrigar essas pessoas, o município decretou estado de calamidade pública.

As doações para a campanha podem ser feitas em dinheiro por transferência ou depósito bancário (Ag.: 2359-0 / Conta Corrente: 14.300-6), ou (PIX: 63.589.899/0001-40).

Em Rio Branco e no interior, o MPAC está recebendo alimentos, água potável, roupas e material de limpeza. O TJAC, por sua vez, também possui dois pontos de coleta para doações na capital: na guarita do prédio-sede, situado na Via Verde, e outro no Fórum Barão do Rio Branco, no centro da cidade.

Comunicar erro
aleac 04.02

Comentários