Cruz Vermelha se junta ao TJAC em socorro ás vítimas das enchentes no Acre

Equipes de ajuda humanitária chegaram hoje para acompanhar as ações de ajuda nos municípios atingidos pela enchente após trasbordamentos de rios e igarapés

Por Tião Maia, do Amazônia Agora em 23/02/2021 às 19:47:49

A desembargadora Waldirene Cordeiro com os dirigentes da Cruz Vermelha no Brasil

O presidente da Cruz Vermelha no Brasil, Julio Cals, está no Acre para ajudar no socorro às vítimas das últimas enchentes o Estado. A Cruz Vermelha é um movimento internacional criado em 1863, em Genebra, na Suíça, como organização humanitária, neutra e imparcial, não vinculado a qualquer Estado e tem pelo menos 97 milhões de voluntários ao redor do mundo.

O presidente da organização no Brasil se reuniu, nesta terça-feira 23/02, em Rio Branco, com a desembargadora Waldirene Cordeiro, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC). Ambos trataram do recebimento e fluxo de distribuição dos suprimentos que chegam ao estado os próximos dias para atender às vitimas da alagação.

De acordo com Julio Cals, a Cruz Vermelha está com equipe no Estado para desenvolver também outras ações nos municípios atingidos, assim como a equipe do Voz das Comunidades, coordenada pelo jornalista Rene Silva, responsável pela mediação da instituição de ajuda humanitária com a campanha SOS Acre, realizada pelo Ministério Público do Acre em parceria com o Tribunal de Justiça.

Rene Silva e a modeloGleici Damasceno, que ficou conhecida com ganhar o BBB em 2018, além da novelistas Glória Perez, ambas acreanas, foram responsáveis pela divulgação nacional da campanha, em uma articulação com diversos artistas e digital influecers.

Ao todo, devem ser 48 toneladas de materiais distribuídos entre equipamentos de proteção individual à COVID-19, medicamentos e produtos de higiene. Os suprimentos devem chegar entre os dias 24 e 25, em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), em atendimento ao pedido do TJAC feito à senadora Mailz Gome s(PP-AC)a. Ela articulou a aeronave da FAB via Ministério da Saúde.

Para maior segurança no armazenamento desses materiais, o comitê de logística formado pelo TJAC para alinhar fluxos dessa campanha social, articulou parceria com o 4º Batalhgão de Infantaria e Selva (BIS) do Exército no Acre IS, que apoiará o Poder Judiciário Acreano no recebimento, contagem e distribuição dos suprimentos para o interior.

Articulação também foi feita com a Associação dos Municípios do Acre (AMAC), que somará esforços com o TJAC na distribuição das doações nas cidades prejudicadas pelas águas. A distribuição será acompanhada dos juízes de Direito. Na reunião, a presidente do TJAC agradeceu pelas doações da Cruz Vermelha Brasileira e falou da importância da união de instituições e da sociedade em geral neste momento delicado em que o Acre se encontra. Ela também ressaltou sobre a confiança em todo o procedimento.

"Estamos vivenciando várias crises simultâneas. O Acre passa por situação muito delicada, enfrentando tantas adversidades ao mesmo tempo. Estamos gratos pela ajuda de todos e essa mobilização nacional. São muitas pessoas necessitadas e precisando urgente de ajuda", disse a desembargadora.

Julio Cals explicou sobre a atuação da Cruz Vermelha Brasileira no cumprimento de sua missão humanitária, enfatizou a solidariedade da equipe com as vítimas da enchente e ainda se colocou à disposição na esperança de atenuar o mais breve possível o sofrimento humano. Já o jornalista Rene Silva, disse que, ao ser informado da tragédia que o Acre enfrenta, imediatamente mobilizou os colegas e que se sente satisfeito em poder ajudar a tantas pessoas neste momento de dificuldade.

O Estado do Acre tem ganhado atenção nacional devido a uma série de crises simultâneas: o agravamento da pandemia do coronavírus, o surto de dengue, crise migratória e enchente. Pelo menos dez cidades estão tomadas pelas águas.

A campanha, idealizada pelo Ministério Público do Acre (MPAC), em parceria com o TJAC, ganhou a adesão de alguns artistas, digital influencers locais e nacionais, além do apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª região (Rondônia e Acre), Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 14ª Região (Amatra14), o Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho de Rondônia e Acre (Sinsjustra), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). O Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG) também manifestou apoio à iniciativa, que é coordenada pelo Grupo Especial de Apoio e Atuação para Prevenção e Resposta a Situações de Emergência ou Estado de Calamidade Devido à Ocorrência de Desastres (GPRD) do MPAC.

O coronavirus já fez quase 55 mil casos confirmados e perto de mil mortes. A pandemia tem levado ao colapso o sistema de saúde local, com falta de leitos e médicos para atender a grande demanda, o que fez as autoridades retomarem o estado de alerta máxima.

Soma-se a esse quadro a explosão no número de infectados por dengue, sobrecarregando ainda mais os serviços de saúde e seus profissionais. As fortes e ininterruptas chuvas que castigam todo o estado neste período invernoso preocupam ainda mais. Com o transbordamento de rios e igarapés, algumas cidades já se encontram parcialmente submersas e milhares de famílias desabrigadas, a exemplo de Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá e Sena Madureira.

Na fronteira com o Peru, a cidade de Assis Brasil vive uma crise humanitária envolvendo imigrantes retidos. Enfrentando dificuldades para abrigar essas pessoas, o município decretou estado de calamidade pública.

Como fazer doações

As doações para a campanha podem ser feitas em dinheiro por transferência ou depósito bancário (Ag.: 2359-0 / Conta Corrente: 14.300-6), ou (PIX: 63.598.899/0001-40).

Em Rio Branco e no interior, o MPAC está recebendo alimentos, água potável, roupas e material de limpeza. O Tribunal de Justiça do Acre também está mobilizando campanha de arrecadação de doações entre servidores e magistrados.

Comunicar erro
aleac 04.02

Comentários