Suspeito estuda medicina na UEA e é amigo da vítima, que é médica. Ela informou ao g1 que emprestava o celular para ele fazer supostas ligações. Valores estavam sendo furtados da vítima há pelo menos dois meses.
Divulgação
Um estudante de medicina de 26 anos, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), está sendo investigado pela Polícia Civil por suspeita de estelionato. Ele emprestava o celular de uma amiga e fazia transferências por PIX, sem que ela soubesse, que totalizaram R$ 27,5 mil.
Os valores das transferências variavam entre R$ 1 mil e R$ 6 mil. O dono da conta que recebia os valores era outro colega do suspeito, que não sabia do esquema (veja detalhes abaixo).
A vítima, uma médica de 25 anos, registrou um Boletim de Ocorrência nessa terça-feira (8) no 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Em depoimento à polícia, o suspeito confessou o crime e falou que irá ressarcir os valores. Ele deve responder por estelionato.
Ao g1, a médica contou que as transações aconteciam quando ela emprestava o celular para o colega fazer ligações. As transferências foram feitas durante os meses de janeiro e fevereiro deste ano.
“Ele sempre saía de perto de mim quando pegava o meu celular, a princípio, eu achava que ele fazia isso porque queria ter mais privacidade. Na semana passada, decidi conferir a minha conta de pessoa jurídica [que foi de onde o suspeito retirava a quantia], e foi então que percebi que havia algo errado com o meu saldo bancário”, contou a vítima.
A médica relata que começou a desconfiar do colega quando notou que a última transferência havia sido realizada justamente na mesma hora em que ela tinha emprestado o celular para o estudante.
“Cheguei a ir à casa dele, mas não falei que já sabia de tudo. Quando cheguei lá, percebi que ele havia feito várias compras, estava com celular e tablet novos, por exemplo. Naquele momento, ele ainda me chamou de amiga, mas decidi não falar nada e fui direto à polícia”, contou a vítima.
Ainda segundo a vítima, pelo grau de proximidade que os dois sempre mantiveram, ela não imaginava que o universitário poderia retirar dinheiro de sua conta sem a sua permissão.
“Eu o considerava o meu melhor amigo, mas a verdade é que ele nunca foi meu amigo. Amigo de verdade não faz essas coisas. Só eu sei o que estou sentindo esses dias”, desabafou a médica.
O caso está sendo investigado pelo 25º DIP
Ana Graziela Maia/G1AM
Universitário confessou crime
Após o registro de boletim de ocorrência, o suspeito foi chamado para depor no 25º DIP, e confessou o crime. Ele afirmou que o dinheiro era encaminhado para a conta de um outro colega, o qual ele também enganava.
O estudante de medicina dizia ao amigo que estava sem conta bancária e que, por isso, precisava da conta dele emprestada para receber valores de um suposto estágio.
Ainda segundo as autoridades, o jovem declarou estar arrependido e afirmou que pretende ressarcir toda a quantia desviada.
Durante as investigações, a polícia identificou que o estudante também responde a um processo pelo crime de furto qualificado, em que é acusado de ter furtado o notebook de uma professora da UEA.
O jovem responderá em liberdade pelo crime de estelionato e ficará a disposição do Poder Judiciário.
Confira os vídeos mais assistidos do Amazonas: