Autor: Fabiano Azevedo

Destaque do Dia
Gladson Cameli vai à greve da Saúde e sindicalistas ouvem nova proposta do governo

Os trabalhadores da saúde ocuparam a esplanada do Palácio Rio Branco nesta segunda feira, 14, durante o primeiro dia de greve. Usaram um carro de som e colocaram em praça pública as principais reivindicações, que segundo eles, motivaram a paralisação.

Governador foi bem recepcionado por grevistas durante ato em frente ao Palácio Foto: Cedida.

Cobravam do governo um posicionamento e prometiam estender o manifesto por tempo indeterminado. Eles só não esperavam que o governador Gladson Cameli aparecesse no movimento. Como sempre faz, Gladson se juntou aos manifestantes e foi ouvir pessoalmente suas demandas. O clima não era hostil. Tanto o governador quanto os manifestantes estavam à vontade. Gladson pediu a palavra e disse que o movimento era legítimo. Reiterou que o governo sempre esteve de portas abertas para negociar e disse que o principal entrave para que as reivindicações sejam atendidas, é jurídico.

Governador esteve na reunião entre equipe de governo e sindicalistas depois de passar pelos manifestantes na porta do Palácio Rio Branco Foto: Cedida.

Depois, o governador entrou no Palácio, onde o secretário de saúde, Alysson Bestene e o secretário de Assuntos Estratégicos, Moisés Diniz, já discutiam a pauta com os representantes dos oito sindicatos. A conversa entre a equipe do governo e os sindicalistas foi cordial e produtiva. Bestene assegurou que o governo vai encaminhar oficialmente uma contraproposta capaz de atender a maioria dos pontos colocados pelos sindicalistas. Ele espera que o esforço do governo para adequar os pedidos dos trabalhadores ao limite de gastos seja considerado pelo comando de greve.

Conversa entre a equipe do governo e os sindicalistas foi cordial e produtiva Foto: Cedida.

“Desde o início do governo a gente vem tratando os sindicatos com transparência, respeito e muito diálogo. Aqui foi uma demonstração disso. Um conversa, ética, técnica, respeitosa. Vamos apresentar a contraproposta ainda hoje e atendendo o desejo do governador, saímos daqui com um bom resultado e muita responsabilidade com a coisa pública”, falou Alysson.

Adailton Cruz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, elogiou a tratativa do governo com as categorias, e destacou que o governo tem uma forma diferenciada de receber os sindicatos. “O atual governo, na questão da receptividade com os sindicatos, nem se compara com o governo anterior. Vamos levar o que recebemos como garantia aqui para a categoria decidir. Mas eu, particularmente, creio que os trabalhadores possam aprovar o que foi colocado pelo governo ”, disse Cruz.

Polícia
Rapaz é morto com tiro na cabeça no Recanto dos Buritis

Francisco John Alisson Pereira Ferreira foi assassinado ao ser alvejado com vários tiros na tarde desta segunda-feira (14). Um dos disparos atingiu a cabeça da vítima. Ele foi localizado pelos acusados numa residência localizada na Travessa da Judia, no bairro Recanto dos Buritis, no Segundo Distrito de Rio Branco.

Segundo informações da polícia, Jonh estava em um beco na região quando membros da facção local começaram a perseguí-lo. Os criminosos efetuaram vários tiros na direção de John que começou a correr e pular vários muros de residências na tentativa de fugir. Francisco foi abordado pelos criminosos, que o colocaram sentando e em seguida efetuaram um tiro em sua cabeça. Após a ação, os criminosos fugiram do local.

Populares acionaram a ambulância do suporte avançado do serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU), mas quando os paramédicos chegaram ao local, a vítima já se encontrava sem vida.

Policiais Militares do 2° Batalhão estiveram no local e isolaram a área para os trabalho do perito em criminalística. Em seguida, fizeram patrulhamento na região em busca de prender os autores do crime. Um homem foi preso, mas a polícia ainda investiga se ele tem envolvimento no homicídio.

O caso segue sob investigação dos Agentes de Polícia Civil da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A polícia informou que Jonh era membro da facção Bonde dos 13, e acredita que sua execução está relacionado a uma suposta traição a facção.

Notícias em Geral
Casal realiza doação de sangue habitualmente e salva vidas

É um amor que dura sete anos e há quatro salva vidas, permitindo que mais pessoas continuem experimentando e espalhando o sentimento, por meio da doação de sangue. O casal Melrili Santos e Cláudio Oliveira se conheceu na infância, suas vidas seguiram rumos diferentes, mas, como conta uma lenda chinesa, quando uma pessoa é destinada a outra, ambas têm um laço vermelho que as liga. O laço pode embaraçar, emaranhar, mas nunca quebra.

O casal Melrili Santos e Cláudio Oliveira se conheceu na infância, suas vidas seguiram rumos diferentes Foto: Cedida

Foi assim mesmo a história do casal, que voltou a se encontrar na faculdade. Engataram logo um namoro, para não correr o risco de novamente ter o destino comum interrompido. “Nós nos reencontramos durante a formação em engenharia florestal, quando começamos o namoro, que já dura sete anos”, conta Melrili.

Além do sentimento de bem-querer mútuo, eles levam esperança a quem precisa, e já se vão quatro anos realizando doações de sangue no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre), em Rio Branco.

“A primeira doação do Cláudio foi em 13 de abril de 2009 e a minha, em 5 de maio de 2017. Depois que começamos a namorar, sempre que ele ia doar me convidava, eu aceitava o convite e a doação se tornou algo fixo na nossa rotina”, relata Melrili.

Conforto

Hoje, noiva de Cláudio, Melrili fala o sentimento de ser doadora: “Após cada doação o sentimento é único, de conforto, felicidade e tranquilidade de dever cumprido. É um ato tão simples, sem dor, sem demora e ao mesmo tempo muito valioso, pois, para aquele que precisa, o sangue vem muitas vezes como uma salvação e pra nós, doadores, é apenas uma pequena forma de contribuição”.

Quem pode doar?

Condições básicas para a doação de sangue: ter entre 16 (acompanhado do responsável) e 69 anos (desde que a primeira doação tenha sido antes dos 60 anos), pesar mais de 50 quilos, estar bem de saúde, ter dormido 6 horas na noite anterior, não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes, evitar alimentos gordurosos 4 horas antes e não estar em jejum.

Como doar?

Os potenciais doadores devem portar documento original com foto e realizar o agendamento da doação pelo número (68) 3248-1380. O agendamento também pode ser feito pelo aplicativo Sangue Amigo. O Hemoacre funciona de segunda-feira a quinta-feira, das 7 às 17h e, na sexta-feira, das 7 às 13h.

Utilização

O sangue de modo geral é utilizado principalmente nas cirurgias. Já os componentes como as plaquetas, são usadas em casos de doenças hematológicas nos pacientes que fazem quimioterapia, assim como também para tratar hemorragias que podem ser ocasionadas em caso de dengue hemorrágica.

O plasma convalescente é utilizado nos casos de recomendação médica para o tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19. O plasma pode ser doado por pessoas que já contraíram a doença há mais de 30 dias e não ter tido manifestações graves em função da doença (choque séptico, parada cardíaca ou intubação traqueal ou respiratória).

Na capital

Em Rio Branco, o Hemoacre fica localizado na Avenida Getúlio Vargas, 2787, bairro Bosque. As doações também são para o tratamento de pessoas acometidas pela Covid-19, dengue hemorrágica, tratamento de quimioterapia e cirurgias, entre outros.

Notícias em Geral
Acre registra novos 163 casos da covid-19 nesta Segunda-feira (14)

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), registra 163 casos de infecção por coronavírus nesta segunda-feira, 14, sendo 39 casos confirmados por exames RT-PCR e 124 por testes rápidos. O número de infectados saltou de 84.174 para 84.337 nas últimas 24 horas.

Até o momento, o Acre registra 225.058 notificações de contaminação pela doença, sendo que 140.706 casos foram descartados e 15 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 78.886 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 113 pessoas seguem internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a Covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Mais 7 notificações de óbitos foram registradas nesta segunda-feira, 14 de junho, sendo 5 do sexo masculino e 2 do sexo feminino, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.719 em todo o estado.

Óbitos do sexo masculino:

Morador de Rio Branco, P. L. N., de 86 anos, deu entrada no dia 22 de março, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e faleceu no dia 24 de março.

Morador de Rio Branco, F. A. M. S., de 60 anos, deu entrada no dia 3 de abril, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), vindo a falecer no mesmo dia, 3 de abril.

E. B., de 41 anos. Morador de Rio Branco, deu entrada no Hospital Santa Juliana, no dia 11 de março, e veio a óbito no dia 4 de abril.

Morador de Rio Branco, H. S. M. M., de 63 anos, deu entrada no dia 10 de maio, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), vindo a falecer no dia 17 de maio.

O quinto óbito entre os homens é de R. N. C., de 84 anos. Morador de Rio Branco, deu entrada no dia 4 de junho, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e faleceu nesta segunda-feira, dia 14.

Óbitos do sexo feminino:

L. F. M., de 56 anos, faleceu no seu domicílio, em Rio Branco, no dia 24 de março.

Moradora de Porto Acre, I. A. F., de 75 anos, deu entrada no dia 16 de maio, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e faleceu no dia 13 de junho.

Sobre os casos de Covid-19 no estado, acesse:

BOLETIM_AC_COVID_14-06-2021

Sobre a ocupação de leitos no estado, acesse:

http://covid19.ac.gov.br/monitoramento/leitos

Rio Branco-AC, 14 de junho de 2021

Secretaria de Estado de Saúde do Acre

Notícias do Norte
Governo convoca 328 professores aprovados em dois processos seletivos

O Governo do Estado do Acre publicou nesta segunda-feira, 14, o edital com a lista de 328 professores aprovados nos processos seletivos de 2018 e 2020.

O processo seletivo para a Educação no Campo, realizado em 2020, teve 309 convocados, de 19 municípios, além de Rio Branco. Já do processo seletivo para atender as necessidades do Programa Asas da Florestania, de 2018, foram 19 convocados  para Rio Branco, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Acre e Tarauacá.

A convocação faz parte do pacote de onze medidas de valorização dos profissionais da Educação anunciadas no início do mês pelo governador Gladson Cameli. A partir das contratações, o governo investirá mais de R$ 865 mil reais à folha de pagamento, gerando um impacto de 6 milhões até o final de 2021, aproximadamente, subindo para R$ 12.152.037,80, (doze milhões cento e cinquenta e dois mil e trinta e sete reais e oitenta centavos) em 2022.

“Mesmo num momento muito difícil de pandemia, estamos nos empenhando com a valorização dos servidores. Estamos cumprindo com nosso cronograma e nossa palavra para todos os professores que cumprem um papel extremamente importante na nossa sociedade. Com uma boa educação, melhoramos segurança e saúde, por isso manter esse investimento é fundamental. E vamos vencer os grandes gargalos que temos pela frente”, destacou o governador Gladson Cameli.

Os candidatos têm até o dia 25 de junho para entregar os documentos nos endereços listados no edital. Confira aqui o edital.

Entretenimento
SBT perde da Globo e vê pior audiência da história na estreia da Copa América

A vitória do Brasil sobre a Venezuela por 3 a 0 na Copa América, neste domingo, registrou a pior audiência para uma estreia do Brasil no torneio. O SBT, detentor dos direitos televisivos da competição, registrou média de 14 pontos entre 18h01 a 19h54 em São Paulo. No Rio de Janeiro, a média foi de 12 pontos. Em termos absolutos, o primeiro jogo foi assistido por cerca de 2,8 milhões. A Rede Globo liderou a audiência no horário com média de 17 pontos. Os dados foram divulgados pelo Ibope nesta segunda-feira.

A menor média histórica da seleção na Copa América havia sido de 21 pontos em 2016, quando o torneio foi transmitido pela Rede Globo. O jogo diante do Equador, no dia 4 de junho, às 23h, foi acompanhado por cerca de 3,9 milhões de pessoas.

Na última edição, a Copa América teve bom desempenho na telinha no jogo de estreia. Em 2019, quando enfrentou a Bolívia às 21h30 do dia 14, a seleção alcançou 33 pontos no Painel Nacional de TV (PNT), índice que projeta a audiência nacional com base nas 15 regiões metropolitanas de maior consumo do Brasil. Em São Paulo, cada ponto corresponde a 205.377 domicílios.

Neste ano, a Copa América está no centro de várias polêmicas. Os próprios jogadores da seleção eram contrários à sua realização. Mesmo depois da desistência de Colômbia e Argentina como sedes originais, de um manifesto dos atletas da seleção brasileira com críticas ao torneio por “razões humanitárias e de cunho profissional”, e de protestos de movimentos sociais no Distrito Federal por conta dos jogos durante o agravamento da pandemia, o torneio começou neste domingo. O Governo Federal e a CBF aceitaram pedido do Conmebol. Os jogos estão sendo realizados sem público para evitar a disseminação do novo coronavírus.

No dia da abertura, o consórcio de veículos de imprensa registrou 1.118 novas mortes causadas pela covid-19, contabilizadas nas últimas 24 horas. O total de vítimas da pandemia chegou a 487.476.

Mesmo com o recorde negativo, a partida representou uma elevação da audiência para o SBT. Com a exibição da estreia, a rede cresceu 59%. No domingo anterior, o SBT atingiu 8,8 pontos com a exibição de dois programas no mesmo horário. A emissora conquistou a liderança em cinco praças: Recife (PE), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Distrito Federal (DF) e Goiânia (GO). Considerando somente os domingos, foi a melhor audiência na faixa horária desde 14/09/2008, quando a emissora marcou 14,3 pontos de média. O presidente Jair Bolsonaro se empenhou na campanha pelo SBT, ao publicar nas redes sociais que estava acompanhando o jogo de abertura.

O desempenho do SBT não foi suficiente para tirar a liderança da Rede Globo. No horário da partida, a emissora carioca foi líder com 17 pontos de audiência em São Paulo e 19 pontos no Rio de Janeiro com a exibição do Domingão do Faustão.

Entretenimento
Mãe do Gil do Vigor: ‘Deitei com um homem para trazer comida para casa’

Sucesso de vendas, o livro ‘Tem que Vigorar’ do economista Gilberto Nogueira trouxe muitas revelação sobre a vida do ex-BBB e sua família, que passou por muitas dificuldades no Pernambuco.

Em um trecho da edição, há o relato de Jacira Santana, mãe de Gil do Vigor, que revelou que precisou se prostituir para alimentar os filhos.

Jacira conta que quando se mudou com os filhos para São Paulo, fugindo das agressões do ex-BBB, que passou por muitas necessidades. Na ocasião, o pai de Gil teria dito que só ajudaria a ex-mulher em troca de sexo, mas ela não aceitou. No entanto, a crise financeira da família apertou e ela teve que aceitar a proposta de um desconhecido.

“Um homem me ofereceu dinheiro para eu poder comprar comida para as crianças se eu saísse com ele. E eu fiz isso. Chegar a esse ponto é extremamente difícil para uma mulher. Mas não tenho vergonha: meus filhos valem mais do que eu. Eu tive que me deitar com homem para trazer comida para casa. Me vendi para criar meus filhos. E isso não me torna menor do que ninguém”, revelou Jacira.

Nacional
Vacinas oferecem proteção contra variante delta da covid-19, mostram pesquisas

Estudos no Reino Unido publicados nesta segunda-feira demonstram que, ainda que a eficácia seja inferior em comparação às variantes mais estáveis, as vacinas já existentes apresentam proteção significativa contra a variante delta da covid-19, identificada pela primeira vez na Índia.

Uma análise feita com mais de 14 mil casos da delta pela agência de saúde pública da Inglaterra descobriu que duas doses da vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech reduzem o risco de hospitalização em 96% para essa cepa. Já a elaborada pela Universidade de Oxford e AstraZeneca reduz em 92%, aponta.

Outro estudo conduzido por acadêmicos e autoridades da saúde pública na Escócia, publicado na The Lancet, importante revista científica de medicina, demonstra a redução de eficácia da vacina contra o risco de infecção, mas níveis similares de proteção contra manifestações graves da doença.

Com a aplicação da vacina da Pfizer, a estimativa é reduzir o risco de infecção a 79% para a variante delta, contra 92% para a variante alfa, identificada pela primeira vez na Inglaterra, em 2020. No caso da AstraZeneca, a redução do risco seria de 60% e 73%, respectivamente. Com ambas as vacinas, o risco de hospitalização é reduzido em torno de 70% no caso de contaminação pela variante delta, aponta a análise escocesa.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou nesta segunda, 14, o atraso no relaxamento de medidas de biossegurança, de 21 de junho para 19 de julho. O objetivo é conter o avanço da cepa delta do coronavírus, responsável pela maior parte dos 7 mil casos registrados diariamente na região, e criar uma janela para que mais jovens sejam vacinados nesse intervalo. De 33 mil casos com ela registrados na Inglaterra, 58% foram em pessoas não vacinadas, principalmente em grupos de idades mais jovens, de acordo com a agência de saúde pública da Inglaterra. 

Nacional
Junho Vermelho busca aumentar número de doadores de sangue

A campanha Junho Vermelho, realizada este mês por instituições públicas e privadas da área da saúde, busca conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue e, desse modo, angariar mais doadores voluntários.

O Ministério da Saúde estima que, no ano passado, devido à pandemia de covid-19, o número de doações tenha diminuído 20%, na comparação com o ano anterior. No primeiro trimestre de 2021, a taxa de doação voluntária da população brasileira era de 1,6%, dentro do padrão estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O diretor médico da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, João Tyll, diz que a doação pode ser realizada com segurança, uma vez que são adotadas medidas de prevenção para evitar a propagação do vírus, sem risco para os doadores.

O autônomo Sebastião Castro da Silva, 53 anos, já realizou quatro doações de sangue durante a pandemia. “Sou doador de plaquetas há mais de seis anos. Comecei a doar para a filha de um médico que estava grávida de seis meses e foi diagnosticada com leucemia. A partir daí, não parei mais e sempre que recebo uma mensagem vou imediatamente fazer a doação para ajudar.”

Outro que aderiu ao movimento na pandemia foi o jornalista Fábio Resende que fez doações de sangue e plasma nos últimos cinco meses. “As propriedades do plasma ou soro convalescente humano, como uma terapia viável, possuem um grande potencial de tratamento para covid-19. Por esse motivo, no momento da doação, optei também por essa retirada”.

Para doar sangue, a pessoa deve estar em boas condições de saúde e alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e levar documento de identidade original com foto recente. É preciso evitar a ingestão de alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e respeitar o prazo de 12 horas para o caso de bebidas alcoólicas. Se estiver com sintomas de gripe ou resfriado, ou tiver tomado vacina recentemente, não deve doar temporariamente.

Estão impedidas de doar pessoas gripadas ou com processo alérgico que inclua tosse e coriza; que tenham feito tatuagem ou colocado piercing há menos de um ano; que tenham tido hepatite após os 11 anos de idade; tenham realizado endoscopia ou colonoscopia nos últimos seis meses; sejam usuários de drogas ilícitas. O banco de sangue da Santa Casa do Rio de Janeiro está localizado na Rua Santa Luzia, 206, região central da capital fluminense.

O Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio) tem registrado uma baixa considerável em seus estoques, desde o início da pandemia. “Março [deste ano] foi muito ruim, afetou os estoques de abril; em maio, houve uma recuperação mas, de modo geral, teve uma diminuição importante no número de doadores no Rio de Janeiro e no Brasil. A situação está muito preocupante”, afirmou o diretor da instituição, Luiz Amorim, à Agência Brasil.

Segundo ele, é necessário lançar novas ações para incentivar a doação porque a busca espontânea é sempre baixa. Em 2020, houve queda de 5% no número de doadores – na comparação com 2019. Em 2021, a redução já atinge mais 5%. Amorim afirma que, apesar de parecer uma diminuição pequena, o estoque em 2019 já não era confortável. “Agora, estamos vivendo uma situação de hospitais lotados, não apenas de pacientes de covid-19, mas de outras doenças, porque as pessoas esperaram o máximo para se tratar por causa da pandemia. Então, o consumo de sangue está em nível elevado, mais do que no ano passado”.

De acordo com o diretor do Hemorio, a média ideal é de 250 doadores por dia, mas esse número vem caindo mês a mês. Em março de 2021, o Hemorio registrou 150 doadores/dia. Em abril, a queda também foi grande, chegando a uma diminuição de 30% em relação ao que era na pré-pandemia.

A maior quantidade de doadores do instituto está na faixa etária de 20 anos a 39 anos, que responde por mais de 60% das doações. A faixa de 20 a 29 anos concentra 40% dos doadores. “A gente pode dizer hoje que o nosso público de doadores é um público jovem, o que é muito bom”. Segundo Amorim, isso é fruto de campanhas direcionadas e do uso intenso de mídias sociais.

As mulheres que há 20 anos representavam somente 15% dos doadores, hoje, representam 40%. “Já melhorou bastante. Mas se olhar para a população fluminense, 52% são do sexo feminino, o que mostra que isso pode aumentar”, afirmou Amorim lembrando que muitas mulheres que desejam doar não conseguem por causa da anemia, deficiência muito comum em mulheres devido às perdas menstruais.

No Dia Mundial do Doador de Sangue, lembrado hoje (14), o diretor do Hemorio faz um apelo para que as pessoas se mobilizem e se dirijam ao instituto para doar.

Para facilitar o trabalho dos potenciais doadores e evitar aglomerações, ele sugere que as pessoas agendem uma hora para a doação pelo telefone gratuito 0800-2820708 ou pelo site do Hemorio.

“Com isso, o processo é muito mais rápido, a pessoa fica menos tempo na rua. É tudo muito mais fácil e mais prático”.

A advogada Valéria Esteves Ferreira Netto começou a doar no Hemorio em 1985. “Desde que me entendo por gente, eu queria doar. Mas custei a ter o peso necessário para poder doar, que são 50 quilos”, disse à Agência Brasil.

No ano seguinte, ao ver passar o carro do posto móvel do Hemorio, ela resolveu doar pela segunda vez e passou a fazê-lo de quatro em quatro meses.

Hoje aposentada, Valéria contou que começou a doar plaquetas para ajudar uma amiga que estava com leucemia e morava em Belo Horizonte. A partir daí, tornou-se doadora permanente do Hemorio. “Acho que já doei umas 206 vezes”. Mensalmente, Valéria doa plaquetas no instituto. “Vou doar até não poder mais.”

Para as pessoas que têm medo, ela afirma que o processo é indolor. “Pode doar porque não dói nada. É seguro. Você sai tão satisfeito, se sentindo uma pessoa melhor, porque está doando”.

“Acho que é um ato de amor doar sangue. Isso me faz muito bem. Tanto que todo mês estou lá. Quando não posso doar, fico chateada. É uma coisa que faz bem para a pessoa que doa e para outras pessoas. É uma coisa que não tem efeito colateral, não tem recomendação contra, não transmite doença; as seringas são descartáveis”, afirmou Valéria.

Operadoras de saúde também entraram na campanha para estimular a doação de sangue no mês de junho. A Unimed-Rio lançou a campanha #selfiequesalva, com o objetivo de contribuir para o aumento do estoque nos bancos de sangue do Rio de Janeiro.

Na avaliação do superintendente de Mercado e Operações na Unimed-Rio, Mauro Madruga, “a campanha #selfiequesalva reforça esse significado de forma lúdica, ao mostrar a semelhança do ato de fazer uma selfie e a de doar sangue”.

Segundo ele, 90% dos brasileiros tiram selfie, mas apenas 1,6% doa sangue. “Queremos sensibilizar a população para a importância desse ato, que ganha ainda mais relevância com a pandemia, quando houve um aumento da demanda de transfusão de sangue em pacientes que apresentam formas graves da covid-19”, completou Madruga.

A campanha propõe um desafio para que outras empresas incentivem seus colaboradores a doar, da mesma forma que parentes de familiares internados com covid-19. Segundo o superintendente, todos os bancos de sangue do Rio de Janeiro estão na campanha.

Com informações da Agência Brasil

Notícias do Norte
Grávida é estuprada por mototaxista em Porto Velho

Uma mulher grávida, de 24 anos foi estuprada por um mototaxista na noite de domingo, na BR-364, próximo à entrada da Avenida Mamoré, na Zona Leste de Porto Velho.

A vítima relatou aos policiais que estava bebendo com seu esposo na Zona Sul da cidade e contratou um mototaxista para levá-la em casa.

No meio do trajeto, a vítima relatou que o homem parou a moto, e a levou para um matagal, onde cometeu o estupro e fugiu.

Desesperada, a jovem acionou uma equipe da Polícia Militar e foi levada até a Maternidade Municipal Mãe Esperança, onde recebeu atendimento médico.

O autor do crime não foi localizado pela Polícia.