sexta-feira, abril 12, 2024
Polícia

Mulher perde a vida em decorrência da “Doença do Pombo”, contraída enquanto trabalhava em Rio Branco

Na quarta-feira passada, 15, uma mulher de 49 anos chamada Sandra Silveira Bezerra faleceu devido à “Doença do Pombo”, adquirida no local onde trabalhava, situado na Coronel Alexandrino, próximo ao Mercado do Bosque. A informação foi divulgada pela equipe de reportagem da TV Gazeta.

Conforme relatos, a vítima recebeu atendimento médico, foi transferida da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para a Fundação Hospitalar, porém não resistiu e veio a óbito.

O empresário Ney Matos, dono do estabelecimento onde a vítima trabalhava, também foi diagnosticado com a “Doença do Pombo” cerca de dois anos atrás, resultando em Fibrose Pulmonar Cística. Ele foi diagnosticado em São Paulo por um renomado pneumologista chamado doutor Alexandre, que realizou uma biópsia do pulmão e um estudo confirmatório. O empresário destacou a presença significativa de pombos na Coronel Alexandrino, onde reside.

Genival Lustosa, cabeleireiro que atua na mesma região próxima ao Mercado do Bosque, relatou que as pessoas estão apreensivas devido à quantidade de pombos na área. Ele apela por intervenções das autoridades, como prefeitura, governo ou Vigilância Sanitária, para resolver a situação, mencionando que algumas pessoas na região alimentam os pombos.

A “Doença dos Pombos”, mais corretamente denominada Criptococose, é causada pelo fungo Cryptococcus, presente nas fezes dessas aves. Trata-se de um fungo potencialmente letal para os humanos, especialmente se não forem tomados os cuidados adequados. A infectologista Cirley Lobato explicou que é possível contrair a doença, pois o fungo libera microesporos que, ao serem inalados, inicialmente afetam os pulmões, podendo, em seguida, atingir a corrente sanguínea e provocar complicações como meningite, dependendo do estado imunológico da pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *