terça-feira, abril 16, 2024
destaques com arte

Agricultura Acreana Enfrenta Desafios Diante das Cheias dos Rios

As recentes cheias dos rios no estado do Acre têm causado sérios prejuízos aos produtores locais, especialmente aqueles envolvidos na produção de soja, milho, banana e mandioca. De acordo com um relatório da Secretaria de Estado da Agricultura, cerca de 78% do território acreano está sendo afetado pelas enchentes, destacando a extensão dos danos causados por esse fenômeno natural.

O relatório ressalta que a situação é particularmente grave para os agricultores que têm suas lavouras destinadas à produção de silagem, as quais enfrentam perdas significativas de alimentos e insumos agrícolas devido às inundações. Luiz Tchê, secretário da Seagri, alerta que a produtividade e a qualidade dos produtos agrícolas estão comprometidas, representando um desafio adicional para os agricultores que dependem dessas culturas para subsistência e comercialização.

“Tanto os grandes produtores, como os de milho e soja, quanto os médios e pequenos, especialmente os que cultivam banana e mandioca, estão sendo severamente afetados. Além disso, o setor de fruticultura, ainda em fase inicial de desenvolvimento, também foi duramente atingido”, afirma o secretário.

Apesar da gravidade da situação, Tchê destaca que o governo está concentrando esforços na prestação de ajuda humanitária à população afetada. “Neste momento, estamos priorizando a distribuição de água potável, alimentos e outros recursos para atender às necessidades da população afetada, incluindo as comunidades indígenas”, ressalta.

Segundo o Boletim Enchentes divulgado pelo governo estadual, até o momento, 7.710 produtores nos 22 municípios do Acre tiveram suas atividades comprometidas pelas alagações, fortes chuvas e enxurradas que têm castigado o território acreano nas últimas semanas. O nível do Rio Acre, por exemplo, continua a subir, mantendo uma média de elevação de dois centímetros nas últimas três horas, atingindo a cota de 16,26. A Defesa Civil Municipal estima que mais de 50 mil pessoas tenham sido afetadas pela enchente na capital acreana.

Diante desse cenário desafiador, os esforços continuam voltados não apenas para o socorro imediato às vítimas, mas também para a reconstrução e recuperação das áreas afetadas, visando mitigar os impactos na agricultura local e garantir a segurança alimentar e econômica das comunidades atingidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *